Autorizado curso de medicina em Poços

A decisão do Ministério da Educação (MEC) publicada na quarta, 29, no “Diário Oficial da União”, que autorizou a abertura de vagas para o curso de medicina no campus local da PUC/ Minas, levou o prefeito Sérgio Azevedo (PSDB) a convocar uma coletiva na manhã de ontem, em seu gabinete, oportunidade em que, ao lado do secretário municipal de Saúde, Carlos Mosconi (PSDB) e diretores da PUC/Poços, comemorou a notícia. A universidade anunciou, também, que as inscrições para as primeiras 50 vagas já estarão abertas nesta sexta-feira, 1º. As aulas serão iniciadas ainda neste ano. (Jornal da Cidade – Poços)

 

Guarda reforça a segurança nos parques

A Guarda Civil Municipal de Montes Claros, criada com o intuito de garantir espaços públicos com mais segurança, vem reforçando o patrulhamento nos parques municipais. Um dos principais pontos de atenção são os Parques Milton Prates e das Mangueiras, que vêm recebendo muitas visitações após serem revitalizados, especialmente, o Parque Milton Prates, depois que foram inauguradas a Ecopista e a ginástica ao ar livre. A Guarda conta com um efetivo de 115 agentes, e sua atuação é, primordialmente, para a proteção do patrimônio público e assistência à comunidade. (Jornal de Notícias – Montes Claros)

 

Radialistas se reúnem em Ipatinga

A Associação Mineira de Rádio e Televisão (Amirt) realiza o 12º Encontro Regional da Amirt, neste sábado, 9. O principal objetivo do evento é destacar as novidades e esclarecer dúvidas sobre o mercado de rádio e televisão. O encontro terá diversas palestras com nomes de destaque como a jornalista Rosana Jatobá. A Amirt realiza todos os anos pelo menos dois encontros regionais em Minas Gerais. O objetivo é levar a associação até seus afiliados para capacitá-los, informá-los sobre todas as atualidades do meio e, principalmente, fortalecer os veículos rádio e televisão. As palestras serão ministradas por profissionais de diferentes áreas da Comunicação. (Diário do Aço – Ipatinga)

 

Escola rural receberá 150 experiências

Na terça-feira, 5, às 9h, a Escola Rural Emílio Justiniano de Resende Silva receberá uma ação inédita entre as instituições públicas de Varginha. Localizada na região dos Tachos, a escola será contemplada com o projeto “Muda de Cidade”. A plataforma fomenta a arborização por meio da integração entre o ato do plantio real de mudas e o respectivo acompanhamento do desenvolvimento das árvores também via Internet. A “Muda de Cidade” (www. mudadecidade. com.br) é um portal de Internet que contribui para a sensibilização, mobilização, monitoramento e manutenção de plantio de árvores nativas, fomentando o engajamento das comunidades envolvidas por meio de uma metodologia de gameficação da natureza. (Gazeta de Varginha)

 

Santa Casa volta a atender pacientes com câncer

O atendimento a novos pacientes com câncer foi retomado na Santa Casa de Poços de Caldas. O serviço estava suspenso por falta de verbas desde setembro, mas foi retomado nos últimos dias após ações em prol do hospital. Quando os atendimentos foram suspenso, a Santa Casa informou que os 17 médicos do setor estavam com salários atrasados. Além disso, o pagamento de fornecedores também não estava em dia. Segundo a instituição, o déficit mensal de todo o hospital chegava a R$ 500 mil. Pra minimizar o problema, a Câmara de Vereadores de Poços de Caldas antecipou a devolução de R$ 2 milhões de sua verba anual para a prefeitura para que fosse repassado ao setor de oncologia da Santa Casa. (Brasil Metrópole)

 

Prefeitura atualiza ações para casos de enchente

A Prefeitura de Divinópolis atualizou nesta quarta-feira, 29, o plano de contingência que estabelece ações a serem executadas em casos de enchentes, inundações, desabamentos e desmoronamentos causados pelas chuvas. O objetivo é garantir que o Município tenha condições de zelar pelas integridades física e moral da população e preservar os patrimônios público e privado. O texto considera situações já enfrentadas pela Defesa Civil municipal e determina as responsabilidades de cada órgão da Prefeitura com base nas capacidades de cada um, para que toda a estrutura municipal possa ser colocada à disposição para uma pronta resposta aos possíveis desastres. (Portal Agora – Divinópolis)

 

Vereadora comenta a repercussão de Projeto

As estatísticas mostram dados assustadores e comprovam a desigualdade entre brancos e negros em diversos aspectos, principalmente no que diz respeito ao mundo do trabalho. As discussões sobre as barreiras a serem superadas foi o centro de debates nas redes sociais, principalmente quando foi divulgada a informação sobre a aprovação de um projeto de Lei que reserva 20% das vagas oferecidas nos concursos públicos para negros no provimento de cargos efetivos no âmbito da Administração Municipal Direta e Indireta do Poder Executivo e Legislativo do Município de Leopoldina. (Leopoldinense)

 

Cooxupé comemora 60 anos de existência

A Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé – Cooxupé comemorou no dia 27 seus 60 anos de atividades. Oitenta por cento das atividades da cooperativa são voltadas para a exportação de café arábica para mais de 40 países. Com área de atuação em mais de 200 municípios brasileiros, a maior parte deles concentrada no Sul de Minas Gerais, Cerrado Mineiro e na Média Mogiana do estado de São Paulo, a cooperativa representa 15% da produção nacional e 21% de Minas Gerais. Hoje, são mais de 14 mil associados. (Jornal do Sudoeste – S. S. do Paraíso)

 

 

 

 

 

 

 

 

De Minas em movimento

 

STEFAN SALEJ

 

 

Minas está onde sempre esteve.

Uma das frases preferidas dos mineiros, em especial dos políticos sábios, é que estamos onde estamos e você tem que saber onde estamos. Se não entrarmos na discussão política, onde as variáveis de funcionamento são inexplicáveis para o cidadão comum, sobra-nos a parte econômica, que no fundo tem muita influência sobre a política. Aliás, é a que paga o exercício da política.

Nesse capítulo, Minas, segundo os dados da revista Mercado Comum e do Diário do Comércio, deixou de estar onde esteve há muito tempo. A  nossa diferença com São Paulo, estado mais competitivo do Brasil, foi aumentada nas últimas décadas. Não só os governos mais recentes deixaram um arraso nas contas públicas como também até agora nenhum governo federal cumpriu e pagou as diferenças que pertencem ao estado no caso da exportação de minérios, ou seja a chamada Lei Kandir, o que afeta e em muito a consolidação e o crescimento do Estado. A distância que nos separa de São Paulo é de 50 anos, se aumentarmos em 5 %  ao ano o nosso Produto Interno Bruto. A indústria mineira virou filial de empresas com sede em São Paulo ou no exterior e perdeu em faturamento nos últimos 15 anos  mais de 50 %.

A situação dramática não deve assustar. Não é só o desastre de Mariana que nos deve levar a uma reflexão serena sobre o futuro do Estado, que assumiu o segundo lugar na economia brasileira por causa da queda da economia fluminense. No passado foram feitos diagnósticos da economia mineira que levaram a um plano de desenvolvimento no início dos anos 60 e 70. Deu certo.

Hoje, o mundo é diferente, em especial quanto à globalização e tecnologias. Então, você tem ainda exemplos de empresas mineiras líderes nacionais, como a Kroton, Martins, Algar, Unimed BH ( a mais bem administrada Unimed do Brasil), Localiza, Forno de Minas, Araujo, Cia. Do Terno, Itambé, e tantas outras. Nós temos um movimento de start up nada desprezível e temos graças ao Guilherme Emrich não só um centro de biotecnologia mas também um centro de pesquisas da Google.

Temos um setor agrícola que deixou no chinelo a indústria, e está despontando como líder da economia. Demos um tiro no pé com a destruição do cluster de serviços e industrial em torno do aeroporto de Confins. Ou seja um passo para a frente e dois para trás.

Minas são várias disse Guimarães Rosa. Aliás, Minas na cultura,  com o grupo Corpo, produções teatrais, músicos, Inhotim, de longe supera o marasmo econômico e também  tem reconhecimento mundial.

Está na hora de Minas e em especial as suas entidades de classe voltarem a abraçar o projeto Cresce Minas, projeto que uniu a todos, governo e empresariado, na década de 90 e, através da introdução da metodologia de clusters, desenvolveu Minas. Fez a Minas, que tem na sua gente o seu  valor maior, crescer.