VEREADOR PASTOR FAUSTO QUESTIONA O FUNCIONAMENTO DO ATERRO SANITÁRIO DE VARGINHA

Através de um requerimento encaminhado à Prefeitura, o vereador Pastor Fausto solicitou ao prefeito e ao secretário municipal de Meio Ambiente, informações sobre o funcionamento e administração do Aterro Sanitário do Município.

Em seu requerimento, o vereador pediu informações sobre os custos e o impacto aos cofres públicos para o funcionamento do aterro de Varginha, que atualmente é operado pela Copasa, por meio de um convênio firmado com o Executivo e questionou se a Prefeitura tem interesse em assumir a administração do aterro sanitário.

Ainda no requerimento, o vereador pede esclarecimentos sobre a quantidade de lixo que o aterro recebe diariamente, o valor que a Prefeitura paga por tonelada levada até o local, os bairros onde está sendo realizada a coleta seletiva e também sobre possibilidade de criação de um consórcio intermunicipal visando gerar renda para o município, entre outras perguntas.

“Sabemos que o início das operações do aterro sanitário significou um importante avanço para Varginha, possibilitando a correta destinação do lixo e também o monitoramento ambiental, diferente do antigo lixão. Esse requerimento é de altíssima relevância para podermos levar informações à população e elaborar campanhas de conscientização sobre a importância desse assunto, tanto do ponto de vista ambiental quanto sanitário”, explica.