Papel do cidadão é fundamental para fiscalização de campanha eleitoral

Com a importância cada vez maior da Internet nas propagandas eleitorais, denúncias ajudam a combater irregularidades.

 

“O universo da Internet é gigantesco e a propaganda eleitoral tem cada vez mais migrado para esse espaço, então o desafio da fiscalização cresce e a participação do cidadão nesse trabalho fica ainda mais importante.”

Foi assim que o promotor Edson de Resende, coordenador eleitoral do Ministério Público (MP) de Minas Gerais, resumiu as dificuldades para garantir que todos os candidatos sigam as regras estipuladas para a campanha eleitoral de 2018. Nesse contexto, os canais de denúncias disponíveis para todos que observarem irregularidades precisam ser conhecidos.

Claro que, em primeiro lugar, é importante conhecer quais são as regras para as campanhas. As propagandas na rua ficaram mais restritas. Pinturas de muros, por exemplo, deixaram de ser permitidas. Já a presença de candidatos na Internet aumenta.

Uma das modificações mais importantes para o pleito deste ano é a possibilidade de impulsionar publicações nas redes sociais. Claro que há regras para isso, como a que diz que esses posts impulsionados não podem conter ofensas ou denúncias direcionadas aos concorrentes.

Tenta-se, assim, reduzir a disseminação das notícias falsas, ou seja, das fake news. “Sempre convivemos com notícias falsas nos contextos eleitorais, isso por si só não é uma novidade, o que muda é o veículo utilizado”, explica Edson de Resende.

Para o promotor, essas mudanças nos veículos de distribuição da informação aumentam o desafio. “Há 20 anos, era um impresso distribuído no centro da cidade de mão em mão. Hoje, com um click, uma informação chega a milhões de pessoas e pode mudar o resultado eleitoral”, afirma.

Leia a matéria completa e veja como denunciar fake news e outras irregularidades.